Novidades

✍Entrevista a Vanessa Lourenço: Escritora de Fantasia e Autora de 'A Cria Negra de Felis Mal'Ak'



Nesta Páscoa, o JEdLP traz a todos vós uma entrevista emotiva à fantástica Vanessa Lourenço, dona de uma narrativa envolvente e aliciante, notável!, que nos revela a razão tocante que a levou a escrever o livro 'A Cria Negra de Feliz Mal'Ak'.

Hoje, os nossos leitores ficarão a conhecer um pouco mais sobre este volume de uma trilogia de Literatura Fantástica narrada segundo a perspectiva de um gatinho negro. E também ficarão a conhecer muito mais sobre a misteriosa e deslumbrante Vanessa! 



✍✍✍



☞ Vanessa Lourenço... uma das escritoras que eu mais aprecio! Li a sua obra 'A Cria Negra de Felis Mal'Ak' e só tenho coisas boas a dizer! Porém, nem todos puderam ter a mesma honra que eu... Por essa razão, peço que se apresente a todos os leitores fantásticos que seguem o JEdLP!

Antes de mais, muito obrigada por esta oportunidade e pela opinião sobre o meu livro. Avançando para a sua pergunta, sou uma amante de animais inveterada, e uma apaixonada pela escrita. Da união destas duas paixões surge agora "A Cria Negra de Felis Mal'ak", a minha primeira publicação e primeiro volume de uma trilogia.



☞ Notei que antes desta sua obra ter início, existe uma pequena dedicatória.... o que me leva a perguntar-lhe o seguinte: Existiu algum ser na sua vida que a levou a escrever esta história maravilhosa?

Da dedicatória deste livro constam dois gatos muito especiais, ambos reais. O Méfis, em primeiro lugar na dedicatória, foi um gato que fez parte da minha vida durante 14 anos. Em tudo semelhante ao anjo gato desta aventura, não poderia ter encontrado melhor forma de o homenagear. No que diz respeito ao Félix... bom... o Félix foi um gato preto que fez parte da minha vida durante 9 meses, até me ser roubado por um automóvel a grande velocidade. Quando consegui começar a recuperar dessa perda, prometi-lhe que o mundo iria conhecê-lo, que ele não seria esquecido. Foi a promessa que cumpri com "A Cria Negra de Felis Mal'ak", e o meu maior orgulho ao ver o livro publicado. 




☞ Acho que qualquer amante de animais ficará com uma 'lagrimita' no olho ao descobrir a razão por detrás de 'A Cria Negra de Felis Mal'Ak'. 

Mas conte-me, como é que descreveria este primeiro volume da sua trilogia?

Qualquer amante de animais abanará lentamente a cabeça em tom afirmativo quando se menciona a "lagrimita" de que fala. Mas arrisco-me a acrescentar que na esmagadora maioria deles, atrás dela virá um sorriso cheio de amor e momentos partilhados. Por vezes quase imperceptível, mas está lá.


É dificil responder a essa pergunta, porque tem sido um processo extremamente intuitivo. Neste livro tomamos contacto com todo um grupo de personagens de quatro patas que nos vão fazer ver o mundo por intermédio dos seus olhos, sensibilizar-nos para a sua realidade e comportamentos, talvez sobretudo para uma complexidade que teimamos em não lhes atribuir. É o início de uma grande aventura, uma aventura maior do que a vida! E é exactamente o facto de ser maior do que a vida, que eu espero que contribua para ajudar outros amantes de animais como eu, a lidar com a perda dos seus mais que tudo de quatro patas.



☞ Vejo que, mais do que uma simples história de fantasia, a sua obra é uma causa nobre. É evidente que a Vanessa pretende, de certa forma, mudar o mundo e mentalidades. O que é digno de uma enorme ovação. Mas, pondo por uns momentos os nossos amados animais de quatro patas de lado, diga-me... como se descreveria enquanto escritora?

No que diz respeito à qualidade do que escrevo, deixo para os meus leitores essa descrição. Mas enquanto pessoa que escreve, que se perde em linhas umas atrás das outras em dias de inspiração... abençoada. Penso que sou uma escritora abençoada por ter conseguido unir as minhas paixões numa só, e por ter tido sempre à minha volta quem acreditasse na validade deste caminho que escolhi. Mas posso acrescentar que sou do tipo intuitivo, nada na minha história está pré-definido, nada acontece de acordo com qualquer tipo de plano. Eu escrevo à medida que a história se desenrola na minha mente. Quase como se, como costumo dizer, se tratasse de uma história escrita a duas e quatro patas.





☞ Entendo.

O Felis Mal'Ak é, muito provavelmente, dos personagens mais importantes da sua história. Por essa razão, peço-lhe que explique aos leitores quem ele é. Que nos fale um pouco mais sobre ele.


Para o conhecerem melhor, é preciso que leiam a história. Existem, neste primeiro volume, numerosas circunstâncias que traduzem muito bem a personalidade deste personagem, bem como a sua contribuição para o desenrolar dos acontecimentos. Mas posso adiantar que se trata de um anjo gato, de um guia, de um mestre e de um guardião. Convido todos aqueles que lerem esta entrevista a lerem a história e descobrirem mais sobre ele, e todos os outros.



☞ Será que a Vanessa nos poderia deixar por aqui uma luz sobre o que reservará o futuro à pequena Cria Negra? E será que nos poderia dar algum excerto exclusivo do segundo volume da sua trilogia?

Posso adiantar que terá um caminho tortuoso pela frente, bem mais tortuoso do que este primeiro volume deixa transparecer. Um caminho onde nada é o que parece, e se torna muito difícil confiar em quem quer que seja. Não irei partilhar excertos com esta antecedência (que me perdoem os meus leitores!), mas posso acrescentar que a acção se intensifica bastante relativamente a este primeiro volume, e que surgirá em cena um vilão muito complexo, e muito especial.


Mas Raquel, prometo que quando tiver planos de publicar excertos, o Jedlp ficará a saber!



☞ Muito obrigada! É óptimo saber que seremos dos primeiros a ter acesso a novidades sobre o segundo volume da trilogia!
Agora, conte-me.... Quem é a Vanessa? Não a escritora, não a mulher, mas a menina. Quem foi a menina? Quais foram os seus sonhos e as suas paixões? O que é que a trouxe até aqui?

A Vanessa é a menina que cresceu entre livros e animais, que esfolou os joelhos a brincar na rua e a quem brilhavam os olhos quando apanhava ao alcance das mãos lápis de cor e uma folha de papel. Ainda hoje é assim, embora hoje em dia já não suba às árvores com tanta frequência! (risos)




☞ Muito obrigada por esta entrevista maravilhosa, Vanessa! Foi uma enorme honra e um imenso prazer tê-la connosco! Brevemente voltarei a contactá-la para tentar furtar novidades sobre o novo livro! Um abraço e muita sorte!


Será um prazer, muito obrigada!


© 2016, Raquel C. Vicente e JEdLP

Sem comentários