Novidades

Vinícius B. Oliveira | 10 Motivos para um Autor Brasileiro viver em Portugal



Vinícius B. Oliveira não conseguiu passar desapercebido aos olhos do JEdLP. Com uma presença vincada nas redes sociais, destacada pelos seus textos que defendem a igualdade de uma forma, para além de racional, bastante justa, a sua viagem a Portugal e o amor demonstrado pelo país foram decisivos para o nosso site. O JEdLP soube nesse momento que o escritor da Bahia seria o rosto perfeito para o destaque do mês de Março e o mais indicado para redigir um artigo que, de certa forma, conectasse portugueses e brasileiros. 


Por essa razão, hoje, o JEdLP traz a todos os seus leitores este talentoso escritor brasileiro e os seus 10 Motivos para um Autor Brasileiro viver em Portugal. 


õõõ



Olá, queridos leitores portugueses e falantes da língua portuguesa. Me chamo Vinicius Barreto de Oliveira, tenho 22 anos, sou brasileiro, nascido e criado em Salvador, capital do estado da Bahia. Sou estudante de Direito pela Faculdade Batista Brasileira e sou autor do livro O Tesouro das Fadas, um livro de fantasia destinado ao público infanto-juvenil, mas, também, ao público adulto. 

Desde criança que tenho contato com a leitura. Meus pais sempre me incentivaram a ler e desde cedo me começaram a comprar histórias em quadrinhos e livros infantis com os quais eu me encantava. Desde tenra idade eu já inventava pequenas histórias envolvendo príncipes e princesas, assim como pequenas histórias em quadrinhos com personagens da Turma da Mônica, como também personagens da Disney (como Mickey, Donald e Tio Patinhas). Além de livros, eu sempre gostei muito da cultura de filmes, de videogames e de estudos esotéricos. Esses fatores foram cruciais para que eu pudesse escrever e publicar o meu primeiro livro O Tesouro das Fadas. Desde criança, eu jogava muito os jogos de A Lenda de Zelda, que foi um jogo que me inspirou na criação de parte da história. Outra influência que eu tive na criação do meu livro foi o filme Stardust: O Mistério da Estrela, filme que é uma adaptação do livro do escritor Neil Gaiman. Gostei tanto do filme, que quando li o livro, me apaixonei. Assim como sou apaixonado pelas Crônicas de Nárnia e As Crônicas de Spiderwick. 

Mas o motivo essencial que me levou a escrever o meu livro foi: Crenças pessoais. 

Estudo sobre esoterismo, espiritualidade, ocultismo e misticismo desde os 14 anos de idade e uma ramificação desses estudos que sempre me chamou atenção foram os Elementais da Natureza. Fadas, gnomos, sereias, dragões são seres fascinantes de se estudar! À medida que eu estudava sobre tais seres, começou a fazer sentido para mim certas percepções do mundo, pois pensava: “ Não é por acaso que os chineses cultuam os dragões, correto?’’ ou “Não é por acaso que os celtas cultuavam fadas e duendes.’’ Então, no ano de 2014, eu pensei: “Por que não criar uma história ou escrever um livro sobre isso?’’. 

Foi o que fiz. Lembro até hoje que no final de 2014, me sentei na cadeira e comecei a escrever as primeiras palavras. Depois que o seu livro é publicado, você sente orgulho de si mesmo e do bom trabalho que você transforma em realidade. Atualmente tenho cinco livro escritos, mas somente O Tesouro das Fadas publicado. Além dele, tenho dois livros infantis, tenho O Enigma das Fadas, tenho um romance LGBT e comecei a escrever um novo livro de fantasia sobre vampiros, lobisomens e seres celestiais. 

O meu primeiro livro escrito e publicado, O Tesouro das Fadas, é um livro de fantasia que envolve a ganância humana e a disputa pelo tesouro de três fadas ancestrais que dá um grande poder a quem o possuir, apesar de não ser uma tarefa simples. Eu diria que meu livro é uma crítica social de como o ser humano pode ser cruel e ganancioso e é capaz de tudo para conseguir fazer o que quer sem hesitar em destruir outros que estejam ao seu redor. 

Dito isto, gostaria de agradecer ao JEdLP por me convidar para falar sobre minhas obras, bem como para dizer os 10 motivos que levam um autor brasileiro a querer morar em Portugal. Eu, como brasileiro, me sinto lisonjeado em poder falar um pouco sobre a cultura portuguesa, cultura de que eu gosto muito! É um prazer poder fazer amizade com portugueses e abraçar novas culturas. Assim sendo, espero poder retornar a Portugal em breve.

õõõ

10 Motivos para um Autor Brasileiro viver em Portugal




1. Qualidade de vida!

Para a OMS (Organização Mundial de Saúde), a definição de qualidade de vida é “a percepção que um indivíduo tem sobre a sua posição na vida, dentro do contexto dos sistemas de cultura e valores nos quais está inserido e em relação aos seus objectivos, expectativas, padrões e preocupações”. Tenho o pensamento de que a qualidade de vida determina e muito como será o futuro da escrita de um autor. Acredito que quanto melhor a qualidade de vida de um país, melhor será a tua escrita. Aqui no Brasil vivemos o tempo inteiro com medo de andar na rua por conta de assaltos, violência, furtos e latrocínios, até mesmo nas áreas nobres. As mulheres brasileiras têm receio de andar até tarde na rua com medo do estupro, enquanto em Portugal isso praticamente não existe. Em cidades como Lisboa, Porto, Braga e Coimbra há muita tranquilidade, muita segurança, preços acessíveis para a população e isso me traz uma verdadeira paz de espírito para escrever. Uma boa qualidade de vida de um lugar é fundamental na vida de qualquer escritor.









2. O tempo!

Percebo que a rotina dos portugueses é bem organizada: há realmente tempo para estudar, trabalhar, dormir, se divertir, sair com amigos, e por aí vai. Existe tempo para se fazer tudo, inclusive para escrever. E todo escritor precisa de tempo para organizar suas ideias, arquitetar a sua história, procurar uma editora e calcular seus gastos. A rotina de nós brasileiros é muito apertada e estressada. A população aqui trabalha do início da manhã até o começo da noite e, muitas vezes, por conta do cansaço devido a transportes com condições precárias para se chegar em casa, o tempo fica muito curto para se escrever o que, por vezes, acaba atrasando as suas metas e publicações. Em Portugal , há tempo de sobra, pois a população é bem servida nos transportes públicos, quando lá estive, a pontualidade dos ônibus e metrôs é excelente, um autor que estuda e faz outros cursos como eu, necessita ganhar tempo nos deslocamentos dentro da cidade, para manter uma rotina constante da escrita. 



3 . Cidades históricas

Se existe uma coisa fantástica em Portugal é a sua História. Bom, não vou dizer que aqui no Brasil não exista, temos uma grande riqueza consagrada não só com Portugal, mas com o mundo inteiro, a minha cidade que é Salvador, a qual eu amo demais, está aí para nos dizer. Mas acho impressionante como a história em Portugal tem um poder de conquistar quem a escuta. Uma cidade histórica que me chamou bastante atenção foi Coimbra. Eu pude viver a história romana, por uma hora de passeio, tive a oportunidade de visitar as ruínas do antigo Fórum do Império Romano que se encontra nas estruturas subterrâneas do Museu de Coimbra, na Universidade de Coimbra. Lá conheci o busto Imperador Romano, Trajano, primeiro imperador que nasceu fora de Roma, pois nascera em Sevilha, na Espanha. Além de conhecer o busto da mãe de Nero, Agripina, mulher influente no senado romano. Jamais imaginei que Coimbra se chamava AEMINIUS, nome dado pela civilização romana em terras lusitanas. Foi fabuloso o contato no mundo subterrâneo do Fórum Romano. Magnífico ouvir as narrações de seus esconderijos, das invasões bárbaras, do povo celta , gauleses e de como se formaram as nações e tribos lusitanas. Isso sim traz uma verdadeira inspiração para quem gosta de temas e romances históricos. 

Conhecer Porto e saber que cada praça com dois leões que representava a nação portuguesa e a inglesa. Este símbolo significa a aliança histórica entre Portugal e a Inglaterra na luta contra Napoleão, por volta do Bloqueio Continental. Vivenciei a História Geral que havia aprendido nos livros.





4. Arte e música

Muito antes de eu pisar  em Portugal, algo que sempre me chamou atenção foi a dobragem portuguesa (no Brasil, nós dizemos ''dublagem''). Apesar de dublarem somente filmes para crianças, eu acho que as vozes se encaixam perfeitamente nos personagens a quem o locutor está pondo voz. Acredito que o país poderia explorar mais esse ramo e dublar filmes com outras temáticas. Outro ponto é a música: Adoro cantores como Mafalda Veiga, Ana Moura e o DAMA. Acreditem se quiserem, mas ouvir estas vozes me dá grande inspiração no momento em que estou escrevendo um conto ou crônica. Aliás, cantores portugueses poderiam ter mais visibilidade no Brasil assim como cantores brasileiros como Daniela Mercury, Michel Teló e Ivete Sangalo têm em Portugal. 





5. Respeito à comunidade LGBT 

Pode ser muito pessoal eu estar expondo isso, por outro lado é importante. Aqui no Brasil sou ativista LGBT e luto pelos direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros e tenho foco maior no B da sigla, uma vez que os bissexuais são invisíveis dentro do movimento. Percebo que Portugal já superou esses preconceitos bobos, mas aqui no Brasil temos uma longa caminhada de conquistas pela frente. Aqui os casais homossexuais e os transgêneros ainda têm muito medo de andarem de mãos dadas ou transitarem pelas ruas, pois ainda existe muita violência e assassinatos pelo simples fato de serem quem são. Já os portugueses têm a mente muito mais aberta, lá os LGBT's portugueses são livres para serem quem eles são, sem medo e sem culpa. Cidades como Lisboa e Porto, o preconceito praticamente já sumiu. Para mim que sou escritor e ativista LGBT é muito importante viver em um país em que eu possa ser respeitado e que as pessoas entendam que quer gay, bissexual ou transgênero é normal e mais uma forma de manifestação humana. Para quem é autor LGBT, Portugal é um lugar seguro e tranquilo para você viver e buscar inspiração nesse aspecto. Lembrando que a população mais idosa é mais resistente, mas não é desrespeitosa...e os jovens portugueses são mais abertos a isso.



6. Comidas! 

Sou muito suspeito para falar das comidas portuguesas. Prego no prato, francesinha, bacalhau com natas, leitão e caldo verde são comidas sedutoras e fazem qualquer autor buscar inspiração se for escrever uma história que se passe em Portugal. Além dos doces como Braguinhas, Ovos de Aveiro, Doces de Feijão e de Abóbora. Aos brasileiros que viajam para Portugal, recomendo a todos irem comer um bacalhau com natas no Shopping Colombo em Lisboa, no restaurante Serra da Estrela. Garanto que é um dinheiro bem pago.






7. Editoras!

As editoras portuguesas têm respeito pelo autor, embora não invistam tanto em divulgação. Talvez seja bem difícil ser escritor português, mas creio que as editoras lusitanas valorizam bem mais o autor do que no Brasil. Duas editoras pelas quais tenho plena admiração são a Chiado Books, e a Porto Editora (meu sonho de publicação) e pelo que percebo as revisões, diagramações e publicações são muito bem feitas! Os editores são bem rigorosos no que diz respeito a qualidade do livro e revisão ortográficas.



8. O valor que leitores portugueses dão aos autores

No Brasil, existe um preconceito literário de leitor brasileiro para autor brasileiro. Isso porque aqui existe o pensamento errôneo de que brasileiro não sabe montar uma boa história de fantasia ou não têm a mesma capacidade para montar uma história de qualidade igual aos autores americanos como Colleen Houck, Cassandra Clare ou Rick Riordan. Não são todos que pensam dessa maneira, é claro, mas a maioria ainda tem receio de tocar em um livro nacional e provavelmente não gostar, mas isso não passa de uma mentira e um pensamento bobo! Já em Portugal, os leitores dão valor aos autores, eles são mais compreensivos e entendem que o que determina se uma história é boa ou não, não é a nacionalidade do autor, mas sim a maneira como este conduz sua narrativa e prende o leitor. Os portugueses valorizam e muito a escrita. 





9. Visibilidade e reconhecimento

Como eu havia dito no tópico 7, talvez ainda os autores portugueses tenham uma longa caminhada pela frente no que diz respeito a fama e ao reconhecimento, mas acredito que é mais fácil um autor brasileiro ser visto e reconhecido de forma rápida em Portugal do que no Brasil. Os países ideais para se alcançar fama mundial seriam Estados Unidos e Inglaterra, mas em Portugal se compararmos com o Brasil, é mais descomplicado conseguir leitores, até mesmo devido ao sistema educacional da população. Quando estive em terras lusitanas soube que o português que passa por todas as etapas da educação até o nível que aqui se chama Ensino Médio, sabe ao menos duas línguas, dentre elas prioritariamente o inglês, francês ou uma terceira língua. Foi como o autor brasileiro Raphael Draccon fez, publicou seu primeiro livro em Portugal e depois de ter montado uma legião de fãs, voltou para o Brasil e o publicou aqui, hoje tendo tamanha visibilidade. 



10. Universidade de Coimbra!!

Aos autores brasileiros que forem visitar Portugal pela primeira vez, não podem deixar de conhecer Coimbra.. A universidade fica dentro da cidade inteira e existe um belo contraste entre o medieval e o atual, o antigo e o moderno..É uma cidade fabulosa e peculiar. Estive lá e me encantei com as tunas, que são as roupas que os estudantes usam. Inclusive, a autora de Harry Potter, a JK Rowling, morou 10 anos em Portugal e a farda dos estudantes de Hogwarts foi inspirada nas tunas dos estudantes de Coimbra assim como bibliotecas, salas, pavilhões etc.. Espero um dia passar mais tempo na cidade e pegar inspiração para uma futura história..Quem sabe eu não dou a mesma sorte que a JK e fico famoso por me inspirar na Universidade de Coimbra? (risos).



2 comentários:

  1. Sou escritor português e gostei muito da opinião deste autor brasileiro sobre Portugal a mostrar factos tão positivos do nosso país. Obrigado Vinicius e continue com a postura tão correcta e tão gira no universo literário, espero ler vosso livro O Tesouro das Fadas.

    ResponderEliminar
  2. Quanto prazer em conhecer-te!!! ❤
    Vinicius, sou portuguesa e que alegria enorme em ler-te a!!!
    Que bom que tenhas gostado do meu país! Que bom é sentir a tua energia desse lado! É uma honra poder ter a opinião de um brasileiro sobre leitores portugueses
    Costumo dizer que isto é um trabalho de grupo:é optimo sentir a tua força e o teu contributo!!! Fico tão feliz!!!

    ResponderEliminar